Submarino.com.br
Aristofonia Rotating Header Image

Les Stances à Sophie – Art Ensemble of Chicago

Nos confins dos anos 60, formou-se um grupo curioso de jovens musicistas talentosos, com um objetivo claro: abstrair o máximo da música mundana da época, baseando-se no jazz. Surgiu, portanto, o pouco conhecido AACM – Association for the Advancement of Creative Musicians, na fervorosa Chicago. Organização sem fins lucrativos, a única intenção deles era tentar elaborar uma nova sonoridade jazzística, independente de qualquer outra. O propósito era sabido: renovar, o caminho, no entanto, era desconhecido. Era o que eles precisavam, uma vereda, e a buscaram em diversos âmbitos da música, tonais, atonais. Sempre com o velho e bom jazz para somar. Avant-garde, free jazz, bebop, jazz fusion, rock, pop, funk, inclusive música erudita, beberam de tudo que é fonte, a fim de encontrar um som inovador, no mínimo. Foi o que aconteceu. Algo extremamente diferenciado foi gerado. Complexa, densa, incidental, arrítmica, entretanto, genial musicalidade chegou aos ouvidos gerais: modern creative jazz.

“Great Black Music, Ancient to the Future.”

Este foi o grande legado do AACM, para todos seus integrantes, este foi o grande ensinamento.

Dos diversos frutos, ora verdes, ora maduros, produzidos pelo AACM, há um que se deve salientar por sua excepcionalidade musical: Art Ensemble of Chicago. Fundado pela junção entre o sax tenor do líder compositor Roscoe Mitchell, o trompete Lester Bowie e o contrabaixo de Malachi Favors, o grupo iniciou a carreira com o atonal Sound de 66. Nele se vê a real intenção da recém formada banda. Foram anos muito produtivos estes, inúmeros álbuns lançados, entrada de novos integrantes, saída, mantendo sempre os três principais, entretanto, precisavam mais, talvez, vivência e experiência. Na virada da década, deixando Chicago, resolveram viajar.

Viajando pela Europa, acabaram na bela e sensual Paris. Reconhecida por ser amante da cultura jazzística, a cidade os recebeu com novas e excelentes idéias. Projetos artísticos, relacionamentos novos, outras culturas. Foi, então, faltando duas semanas para a invalidação dos vistos, que o cineasta israelense Moshé Mizrahi, os convidou para criar uma trilha sonora de um filme que ele estava dirigindo: Les Stances à Sophie. Nasce deste, a obra prima do Art Ensemble of Chicago, homônimo ao filme. Um álbum composto em duas semanas.

Les Stances à Sophie é uma obra sensacional. Experiência musical única: começa com um jazz rock muito pegado, embebido em groove, expresso pela voz de Fontella Bass (mulher de Lester Bowie) o Thème de Yoyo é uma sonoridade intensa e incessante; segue com Thème de Céline, melodias de sax alto, fliscorne e clarinete sobrepostas e resolvidas com melodias geniais; na terceira faixa, Variations Sur un Thème de Monteverdi, há um estudo sobre, obviamente, um tema de Claudio Monteverdi, amplamente desenvolvida nos seus sentidos, rítmicos e melódicos; a música indiana é exposta claramente em Thème de l’Amour Universal (tema inicial do filme) com vocais dissonantes acompanhados de clarinetes agudos e flautas; numa melodia à l’A Love Supreme, Proverbes é um poema musical, belo e atraente, finalizado com um breve canto; o desfecho do álbum, Thème Libre, é uma composição rítmica e atonal, pleno improviso instrumental. Fascinante.

Thème de Céline:

O Art Ensemble of Chicago cultivou sempre as raízes negras da música, visível tanto na percussão tribal quanto nas próprias vestimentas e pinturas corpóreas. Uma personificação da cultura africana. Nos palcos, agiam de forma sempre inusitada, interagindo entre si, improvisavam durante horas, incessantemente, com incontáveis instrumentos. Na viagem à Europa, utilizaram aproximadamente 500 instrumentos. Isso, certamente, caracteriza e demonstra o multi-instrumentalismo dos integrantes.

Faixas:
1. Thème de Yoyo (9:06)
2. Thème de Céline (3:03)
3. Variations Sur un Thème de Monteverdi (I, II, III) (4:47)
4. Thème de l’Amour Universal (3:52)
5. Proverbes (3:56)
6. Thème Libre (8:53)

Musicistas:
Roscoe Mitchell: saxofones, clarinete, flauta, percussão
Lester Bowie: trompete, fliscorne, percussão
Malachi Favors Maghostut: contrabaixo, percussão, vocais
Joseph Jarman: saxofones, clarinete, percussão
Don Moye: bateria, percussão
Fontella Bass: vocais, piano

Les Stances à Sophie – Art Ensemble of Chicago


Quem quiser baixar o filme, aqui estão os links:

Parte1 Parte2 Parte3 Parte4 Parte5

Mahatma Bode

3 Comentários on “Les Stances à Sophie – Art Ensemble of Chicago”

  1. #1 charlles campos
    on Jul 3rd, 2010 at 10:23 am

    Cara, onde é que vocês encontram essas coisas? Nem no allmusic eles conhecem essa banda.

  2. #2 leverkuhn
    on Jul 3rd, 2010 at 10:22 pm

    Bode crawls like a goat.

  3. #3 Mahatma Bode
    on Jul 6th, 2010 at 12:43 am

    Usando as ferramentas correta, pela internet, encontramos mais facilmente novas sonoridades. Last.FM para pesquisar. Captain Crawl para baixar.

Deixe um comentário